Biomoléculas

0
100

A natureza é complexa em suas múltiplas formas e funções das estruturas pelas quais a vida se manifesta e incrivelmente simples quanto ao número dos seus principais elementos químicos constituintes das moléculas dos organismos vivos.

O material complexo das moléculas orgânicas é constituído principalmente por apenas seis dos 92 elementos químicos naturais que ocorrem na Terra.

São eles o carbono (C), o hidrogênio (H), o nitrogênio (N), o oxigênio (O), o fósforo (P) e o enxofre (S).

Eles compõem 99% da massa de todas as expressões moleculares da vida existentes no planeta.

Os íons, partículas eletricamente carregadas, constituem o 1% restante. São eles o potássio (K), o magnésio (Mg), o cálcio (Ca), o zinco (Zn), o manganês (Mn), o ferro (Fe), o cloro (Cl), o boro (B), o cobre (Cu), o níquel (Ni) e o molibdênio (Mo).

Toda a vida no sistema Terra é baseada em biomoléculas de compostos de carbono.

Este elemento químico por suas propriedades especiais de ligação e interação com outros átomos compõe uma enorme variedade de moléculas presentes nas estruturas vivas.

Porém apenas quatro destes compostos orgânicos de carbono compõem a maior parte da massa seca dos organismos.

Os carboidratos, as proteínas, os lipídeos e os ácidos nucleicos são as principais biomoléculas que estruturam as células, os tecidos e os órgãos e permitem o funcionamento da vida.

Além disso o ATP é a principal molécula de transporte e troca de energia nas células.

A água é a molécula que participa de 50% até 70% ou mais da maior parte das estruturas vivas, sendo que nos tecidos vegetais, sua proporção chega a mais de 90% em algumas estruturas.

Na natureza a organização parte do simples para o mais complexo.

Os elementos químicos se combinam para formar moléculas. Estas muitas vezes se caracterizam por formarem sub unidades moleculares idênticas ou semelhantes denominadas monômeros que se repetem e se ligam formando os polímeros que são em síntese macromoléculas.

Macromoléculas são portanto, estruturas formadas pela polimerização ou seja, a ligação em cadeia de muitos monômeros.

Esses compostos moleculares grandes e complexos podem ser biologicamente ativos com funções fisiológicas definidas ou servirem de unidades construtivas para muitas estruturas orgânicas nos seres vivos.

Bibliografia

JUNQUEIRA, Luiz C.; CARNEIRO, José. Biologia Celular e Molecular. 8ª ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan S.A, 2005. 332 p.

CHAMPE, Pamela C.; HARVEY, Richard A.; FERRIER, Denise R. Bioquímica Ilustrada. 3ª ed. Porto Alegre. Artmed, 2006. 534p.

Foto: www.pixabay.com

ONDE PESQUISAMOS – Clique e saiba. Todos os direitos reservados – © Copyright 2015/2017 – Biota do Futuro.

Deixe uma resposta