O que é quelação

0
778
Modelo químico de quelação - Ilustração Biota do Futuro

A quelação é uma interação química formada por ligações COVALENTES COORDENADAS ou dativas.

Acontece entre moléculas orgânicas e íons metálicos onde um par de moléculas compartilha seus elétrons com um íon sequestrando-o e segurando-o como se fosse uma pinça.

Assim a quelação forma o QUELATO que é o composto formado por átomos metálicos associados a cadeias de moléculas orgânicas com atividade quelante.

Na ligação covalente dativa um átomo estável compartilha um par de elétrons com outro ainda instável a fim de que o conjunto atinja a estabilidade eletrônica.

As moléculas orgânicas envolvidas na quelação podem ser aminoácidos, peptídeos ou polissacarídeos que possuem estruturas heterocíclicas ou em anel.

A quelação mantém o elemento metálico em solução neutralizando sua ação tóxica por exemplo ou utilizando-o como absorvedor ou transportador de substâncias ou partículas.

Os quelantes atuam complexando íons metálicos. O quelante é assim, todo agente que pode capturar, transportar e ou eliminar substâncias principalmente metais dos organismos vivos ou mantê-las inertes na natureza.

A quelação pode ser usada no tratamento por intoxicação com metais pesados para remover essas substâncias deletérias dos organismos vivos desintoxicando-os.

Muitos quelatos têm extrema importância para a vida na Terra. Por exemplo, a clorofila forma um quelato com o Magnésio (Mg).

Esse composto absorve os fótons que são partículas luminosas provenientes do sol, promovendo a transformação da energia da luz solar em energia presente na ligações dos compostos hidratados de carbono produzidos pela fotossíntese.

Outro exemplo é a hemoglobina que é responsável pelo transporte de oxigênio (O2) e gás carbônico (CO2) em nosso corpo, e que forma um quelato com Fe (ferro).

Na medicina, os quelatos têm ainda aplicações no tratamento para a correção de deficiências nutricionais minerais.

As substâncias quelantes são usadas também na biorremediação corrigindo contaminações ambientais eliminando agentes tóxicos do meio ambiente, normalmente metais pesados provenientes das ações humanas de produção e consumo.

Os efluentes industriais estão normalmente cheios de substâncias tóxicas, em grande parte metais pesados. Mas felizmente ao ser decomposta, a matéria orgânica expõe componentes capazes de atividade quelante. Estes componentes mitigam os efeitos tóxicos de várias substâncias,  elementos químicos e íons, que seriam extremamente deletérios para os organismos e o meio ambiente, realizando o seu sequestro e a sua neutralização.

Por exemplo, no fitoplâncton os íons de cobre em alta concentração são altamente tóxicos, mas seus efeitos são mais acentuados em mar aberto onde muitas vezes a concentração de elementos da decomposição orgânica estão em quantidades insuficientes para realizar a quelação e a eficiente dissolução  e neutralização de sua atividade tóxica.

Bibliografia

ODUM, Eugene P. Ecologia. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan S.A, 1988. 434 p.

ONDE PESQUISAMOS – Clique e saiba. Todos os direitos reservados – © Copyright 2015/2017 – Biota do Futuro.

Deixe uma resposta